Ads  

Hoje em dia com a Selic em torno de 9,25% ao ano e podendo aumentar nos próximos meses, agora é a hora mais apropriada para pedir recurso, que não obriga que você diga onde será usado esse recurso.

Aconteceu algo no negócio ou na sua renda e dificultou sua situação financeira? Uma das alternativas para tentar reaver a saúde econômica é o refinanciamento do imóvel.

A opção não é apenas renegociar as parcelas, mas também solicitar com o banco um empréstimo pessoal passando como garantia um imóvel próprio.

  Ads  

“As taxas de juros é mais baixa, já que o risco para o banco é bem menor, geralmente aprova facilmente e não precisa apresentar onde irá usar o dinheiro, o que facilita mais. Se mesmo assim acontecer de você não quitar as parcelas, o banco poderá tomar o imóvel do proprietário”, explica Bruna Allemann, especialista em educação financeira e economia.

Segundo ela, nessa opção poderá usar imóveis próprios parcialmente ou completamente quitados. “Mas, esse empréstimo não pode ter mais de 75% do valor do imóvel.”

Outra dica importante para cogitar um refinanciamento de imóvel, é que o processo de taxa de administração do empréstimo poderá chegar até R$30 mil, por isso é importante saber o valor líquido obtido e o que está sendo cedido como garantia. “Por mais que seja um empréstimo de 75%, o banco poderá chegar de 120% a 170% do imóvel em garantia”, diz Allemann. 

Se você refinanciar um imóvel de 800 mil reais, o banco não disponibiliza de 75%, mas de 50% somente 400 mil reais. Tirando as taxas, chegará em torno de 390 mil reais.

Mas, nesse exemplo, você pagará o dobro em garantia, um imóvel completo, e dobrando a garantia, referente a 120% do imóvel: R$ 960 mil.

Refinanciamento de imóvel: Home Equity

“Valor do capital disponível em um imóvel”, é o significado de Home Equity. Eduardo Muszkat, Head de Crédito Imobiliário para Incorporadoras da Kzas Krédito, esclarece: o termo é usado quando se trata de empréstimo com garantia de um imóvel, ou seja, um empréstimo que tem como garantia seu próprio imóvel imobiliário como prova de que a dívida será quitada. Muito parecido como hipoteca.

Para ele, o que se destaca nessa opção de crédito é por ter vantagem em comparação a outras maneiras de contratação.

“Como o cliente disponibiliza de um imóvel com valor estável, geralmente superior ao valor cedido em um empréstimo, que geralmente é o dobro, o banco dispõe um prazo mais longo do que qualquer outro”, comenta Muszkat.

A maneira como o Home Equity funciona tem a vantagem de um periodo para quitar maior, de 120 meses, e as taxas de juros são de 12% a 15% ao ano, inferior ao que é praticado no mercado e que pode superar os 100% ao ano.

2021: um bom momento para refinanciar o imóvel?

Atualmente, a taxa Selic está em 10,75% e, com a volatilidade da economia, o futuro dos valores ninguém pode se dizer ao certo e o empréstimo poderá aumentar, você que espera em fazer o refinanciamento do imóvel.

“Para as pessoas que precisam de crédito, o melhor é pegar o quanto antes. Esperar o melhor momento, no curto ou médio prazo, não vai adiantar muito, porque as pessoas podem pagar uma taxa ainda mais alta”, alerta a especialista. “2022 é ano de eleição.

A tendência é que tudo aumente, a Selic deve ficar mais caro para controlar a inflação”, diz Bruna.

Refinanciamento de imóvel para Inadimplentes. É possível?

“Mesmo que o cliente esteja inadimplente, ele pode ter acesso ao crédito usando seu imóvel como garantia, se não tiver outro financiamento em aberto.” O lado negativo é que os juros cobrados mudam, já que o banco entende que corre mais risco.

Para quem tem outros investimentos e não pretende usar o imóvel como garantia, alguns bancos já liberam crédito usando investimentos como garantia, uma alternativa com juros mais baixo. Ou seja, quanto mais garantia você dispõe ao banco, melhores condições de pagamento ele pode liberar. Para Bruna, às vezes é válido, porque no caso do investimento, não estará se desfazendo da casa própria.

E também, qualquer parcela que você não puder quitar, poderá recorrer ao dinheiro para pagar o financiamento ou empréstimo bancário.

Ela lembra também que, antes de pedir o empréstimo ao banco, é necessário avaliar a sua necessidade corretamente. Os momentos mais difíceis em nossa saúde financeira são os mais frágeis para estabilizar a a serenidade e fazer uso correto do dinheiro.

  Ads